Pesquisando...
domingo, 30 de novembro de 2014



Os drones se tornaram uma febre dentro da fotografia e da filmagem profissional de eventos. Um pequeno aparelho pode substituir uma grua com incríveis vantagens, como o fato de poder circular por todos os locais do evento. Junto a isso temos câmeras cada vez mais compactas que filmam em Full HD, ou até mesmo em 4K. Colocar esse diferencial em seu trabalho pode lhe render novos contratos, ou dores de cabeça. Existem exemplos fantásticos na internet de acidentes protagonizados por drones em casamentos e outros tipos de eventos sociais. Pilotar um destes brinquedos exige uma carga horária de treinamento e muita habilidade. Você deve pilotar e se preocupar em filmar o evento sem que pessoas sejam atingidas. Uma nova categoria de profissional para o gigantesco mercado de fotografia de eventos.

Pensando em todos esses fatos, e segundo o The Wall Street Journal, a FAA (Federal Aviation Administration) vem realizando uma série de estudos sobre a utilização destes aparelhos e está se preparando para liberar nos próximos meses um conjunto de regras para disciplinar esse mercado. E algumas delas são bem duras, porém só são válidas se você se utiliza comercialmente de seu drone. A primeira, e mais rígida, é que será necessário uma licença de piloto convencional. Escolas devem ser criadas, cursos desenvolvidos para garantir essa licença, ou seja, pode demorar muito tempo para vir a acontecer. Fora isso, os drones só poderão voar durante o dia, não podem ultrapassar 400 pés de altitude (em torno de 121 metros) e o drone nunca deve ficar fora da vista de seu controlador. A nova regra será aplicada a todo drone com câmera com 24 kg ou menos.

Bem, todo mundo sabia que um dia essa prática seria regulamentada. Teve que começar por um país civilizado, mas o Brasil não fica atrás. A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) afirma que o Brasil terá normas para utilização de drones particulares e comerciais até o fim do ano. Segundo uma proposta inicial apresentada em fevereiro deste ano, os drones do Brasil poderão fazer filmagens em locais fechados (como igrejas), mas todos os presentes (convidados) deverão autorizar o uso e ficar cientes dos riscos inerentes ao processo (acidentes). Além disso, cada voo deverá ter um seguro contra danos a terceiros.  A diferença, em relação a regulamentação americana, é que os operadores de drones de até 25 kg podem receber treinamento do fabricante para estarem aptos a pilotar o brinquedo.

A coisa está tão popular que já temos filmagens desse estilo aqui no sertão sorocabano e tem muita gente aqui comprando o aparelho e não tendo a mínima ideia de como pilotar a coisa. Logo acidentes acontecerão.


Fonte: Petapixel

0 comentários:

Postar um comentário