Pesquisando...
quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Com o objetivo de desenvolver a Cadeia Produtiva de Bioquerosene para a Aviação (BioQav) no Estado, no dia 23 de outubro, o governo de Minas, a companhia aérea KLM, fabricante de biocombustíveis Sky NGR e a empresa especializada em soluções biossustentáveis Fundação Be-Basic assinaram um protocolo de intenções de parceria. Com isso, também será criado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) o primeiro centro de referência em certificação de BioQav do Brasil.

O governo mineiro pretende com a iniciativa, facilitar a logística de abastecimento das aeronaves já que pretende transformar o terminal de Confins no primeiro “aeroporto verde” do país. No momento, há tratativas com potenciais investidores para a construção de uma biorrefinaria, no valor estimado de US$ 4 milhões.

As ações envolvem pesquisa, refino, certificação, produção e utilização do bioquerosene pelas empresas aéreas que operam no Aeroporto de Confins e integram o Programa Mineiro de Desenvolvimento da Cadeia de Valor de Bioquerosene para a Aviação.

A primeira biorrefinaria para produção de bioquerosene será instalada no Vetor Norte da Capital, próximo ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, em um prazo de cinco ou seis anos. Porém, já em 2015, o Estado deve abrigar uma usina-piloto capaz de produzir 20 mil litros anuais de bioquerosene operando na mesma região.


Mas segundo o governo, primeiramente haverá a construção de uma biorrefinaria piloto, com produção estimada em 2 mil toneladas/ano, e que já teria, a Gol Linhas Áreas como cliente de 100% da produção.

0 comentários:

Postar um comentário